APOCALIPSE 14:1-20

TEMA: A GLORIFICAÇÃO DOS SALVOS E A CONDENAÇÃO DOS ÍMPIOS

INTRODUÇÃO

1. O Capítulo 14 encerra a quarta seção paralela do livro de Apocalipse. Já vimos sobre os sete candeeiros, os sete selos, as sete trombetas e agora estamos vendo sobre o quarteto do mal que se levanta contra Cristo e sua igreja.

2. Cada seção cobre todo o período que vai da primeira à segunda vinda de Cristo. Assim, vemos repetidamente a cena da segunda vinda de Cristo e do juízo final.

3. Neste capítulo, veremos mais uma vez a cena dos remidos na glória e a condenação dos ímpios no juízo final.

4. Há aqui várias cenas que descobrem o tempo do fim:

I. A IGREJA ESTÁ COM CRISTO NO CÉU - V. 1-5
1. A igreja selada está de pé com o Cordeiro no Monte Sião - v. 1
• Os 144.000 são o mesmo grupo que foi selado em (7:9-17). Eles representam a totalidade dos redimidos. Eles são os remidos, e sabem a canção dos remidos. Eles fazem o contraste com os adoradores da besta que foram marcados para a condenação. Os remidos recebem também uma marca, o nome de Deus e do Cordeiro. Aquela marca de (7:3) continua válida. Agora, eles recebem a marca do Pai e do Filho.
• Embora esses 144.000 são os mesmos do capítulo 7, há mais detalhes sobre eles aqui: 1) João não está apenas ouvindo os selados, mas também pode vê-los; 2) Agora é uma definição de lugar "Monte Sião"; 3) Agora, revela-se a marca deixada pelo selo. As duas igrejas agora estão nitidamente contrapostas; 4) Agora os selados estão ligados não apenas a Deus, mas também ao Cordeiro.
• O Monte Sião aqui não é na terra, mas no céu. Trata-se da Cidade Santa, a Nova Jerusalém, a Sião Celeste (Hb 12:22).
• Os 144.000 foram remidos da terra (v. 3), foram selados por Deus (v. 1), para glorificarem a Deus no céu (v. 2-3).

2. A igreja está cantando no céu enquanto os adoradores da besta blasfemam -v. 2-3
• A besta e os seus adoradores blasfemam contra Deus (13:6 e 16:10-11), mas os remidos do Senhor estão no céu cantando um novo cântico.
• Aqui na terra, os crentes sofrem e choram. Mas Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima e então a alegria da igreja será completa e ela cantará um novo cântico que ninguém poderá aprender, senão os remidos.

3. A igreja é o povo redimido por Deus, totalmente separado do mundo - v. 4-5
a) Os remidos não se prostituíram com a grande meretriz
(v. 4) - A expressão não se contaminaram com mulheres e castos não se trata de celibato. A Bíblia não considera o sexo no casamento uma contaminação; ao contrário, ela exalta o casamento como imagem da mais elevada dignidade (Ap 19-22). Antes, é uma expressão que denota pureza espiritual. João fala diversas vezes da idolatria da besta como porneia (Ap 14:8; 17:2; 18:3,9; 19:2). A igreja é uma virgem pura apresentada ao seu noivo, Cristo (2 Co 11:2). Assim, os 144.000 são virgens e castos no sentido de terem se recusado a se manchar, participando da prostituição que é adorar a besta, mantendo-se puros em relação a Deus.
b) Os remidos são os seguidores do Cordeiro (v. 4) - Eles não seguiram a besta como todos os demais (13:8), mas seguiram o Cordeiro (v. 14:4). Seguiram o Cordeiro, ainda que para a morte (12:7). Os remidos são discípulos de Cristo. Eles ouvem a voz do Pastor e o seguem (Jo 10:3-4). Eles negaram-se a si mesmos, tomaram a Cristo e seguiram ao Senhor.
c) Os remidos são os eleitos de Deus (v. 4) - Eles seguem o Cordeiro, porque não pertencem a si mesmos. Eles foram redimidos pelo sangue do Cordeiro (Ap 5:9). Eles foram escolhidos dentre os homens. Fomos escolhidos pela graça.
d) Os remidos são primícias para Deus (v. 4) - Primícias aqui não são um grupo seleto da igreja, mas toda a igreja: Toda a igreja é a igreja dos primogênitos (Hb 12:23).
e) Os remidos são puros de lábios e de vida (v. 5) - Enquanto os ímpios blasfemam e se contaminaram com a meretriz, e seguiram uma mentira, a besta e seus falsos milagres, os redimidos não têm mentira na sua boca nem mácula em sua vida.

II. O JUÍZO É ANUNCIADO AOS MORADORES DA TERRA - V. 6-7
1. Os moradores da terra são exortados a temerem a Deus e darem glória a ele -v. 6-7
• O capítulo 13 encerra com uma nota triste. A pergunta que ecoa em todo mundo é: "Quem é como a besta, quem pode pelejar contra ela?" (13:4). Somos informados que a besta tinha autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação (13:7). Mas, agora, o anjo proclama as boas novas de alguém mais forte, o Todo poderoso Deus. Ele sim, deve ser temido. A ele sim, deve ser dada toda a glória.
• Enquanto durar o tempo os homens têm a oportunidade de se arrependerem e de se voltarem para Deus.
• Somente Deus é digno de ser adorado (14:7), porque ele é o Deus criador. Ele é a origem de todas as coisas.

2. Os moradores da terra são alertados sobre a chegada do juízo — v. 7
• Antes do juízo, Deus alerta, avisa, e conclama ao arrependimento. As trombetas do juízo sempre visaram levar o homem ao arrependimento (9:20-21; 16:8).
• Os ímpios vivem como se o juízo jamais fosse chegar (2 Pe 3:4). Eles vivem desapercebidamente (Mt 24:37-39).
• Mas agora, o juízo é chegado: é a hora da queda da Babilônia (v. 8), da ira de Deus (v. 10), do lago do fogo (v. 11), a hora da foice, da lagaragem (v. 16,19,20), portanto nenhuma hora de misericórdia.

III. A QUEDA DA BABILÔNIA E PROCLAMADA - V. 8
1. A grande Babilônia é a grande Meretriz
• A verdadeira igreja está no céu e a falsa igreja está arruinada. Ela é grande, mas está perdida. Ela seduziu, enganou, mas agora está caída.
• A grande Babilônia é o sistema mundano, a religião prostituída que vai estar a serviço da besta e de Satanás no mundo.

2. A grande Babilônia age na terra com sedução e perseguição
• A grande babilônia é uma meretriz que seduz e engana (17:5; 18:3), mas também ela é uma mulher embriagada com o sangue dos santos (17:6; 18:24).
• Sua sedução é universal (14:8).

3. A ruína da grande Babilônia é completa e definitiva
• A ruína da grande Babilônia é completa. Ela caiu, ela está derrotada. A igreja que foi perseguida e martirizada é vencedora, mas a igreja que perseguiu e matou os santos de Deus é agora destruída.

IV. A CONDENAÇÃO DOS ADORADORES DA BESTA - V. 9-12
1. - Os adoradores da besta beberão o cálice da ira de Deus sem mistura - v. 9-10
• Até então, a ira de Deus veio misturada com misericórdia, mas quando o juízo chegar os ímpios terão que beber o cálice da ira de Deus sem mistura, ou seja, sem oportunidade de arrependimento (Jo 3:36).
• Todos aqueles que estão unidos a este mundo perecerão com o mundo. Quem escolher servir a Satanás vai ter que sofrer as conseqüências.
• Eles serão atormentados com fogo e enxofre. Isso fala da intensidade do tormento

2. Os adoradores da besta serão atormentados eternamente - v. 11
• Os adoradores da besta jamais terão descanso (Mt 25:46; Mc 9:48). Os remidos que foram perseguidos e torturados até à morte estão no céu, mas os adoradores da besta estão no tormento eterno. Os tormentos sem cessar dos ímpios está em contraste com a felicidade eterna dos salvos (Ap 4:8; 14:13).
• Isso fala não apenas da intensidade do tormento, mas também da perenidade.
• Os adoradores da besta estão condenados, mas os que guardaram os mandamentos de Deus e a fé em Jesus e não cederam à pressão da besta estão seguros (14:12). É melhor suportar perseguição pacientemente do que escapar dela agora e ser atormentado por toda a eternidade.

V. A BEM-AVENTURANÇA DOS QUE MORREM EM CRISTO - V. 13
1. O grande paradoxo: Os mortos em Cristo são felizes
• Isso não é voz da terra, mas do céu. Essa revelação não é passageira, deve ser escrita. Aqueles que morrem ou mesmo os que são martirizados pela besta ou pela grande meretriz são muito felizes.
• Não são todos os mortos que são felizes, mas os que morrem no Senhor.

2. Os mortos em Cristo descansam
• Há grande contraste entre os ímpios atormentados (v. 11) e os remidos descansando (v. 13).
• Aqueles que morrem em Cristo, não morrem, dormem. Eles não vivem vagando, não vão para o purgatório nem vão para o túmulo. Eles vão para o paraíso, para o Lar, para o céu, para o Seio de Abraão. Eles vão habitar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

3. Os mortos em Cristo não são levados para o céu pelas obras, mas levam as suas obras para o céu
• Não somos salvos pelas obras, mas para as boas obras. Elas não abrem nosso caminho para o céu, mas nos acompanham no céu. Não ficaremos sem recompensa.

VI. A SEGUNDA VINDA DE CRISTO PARA A COLHEITA DOS JUSTOS -V. 14-16
1. Cristo vem gloriamente e vencedoramente nas nuvens - v. 14
• Ele virá fisicamente, pessoalmente, visivelmente, gloriosamente, vitoriosamente. Ele virá como subiu, em uma nuvem (At 1:9-11). Ele virá com as nuvens (Ap 1:7).
2. Cristo vem para a colheita das primícias, ou seja, reunir os seus eleitos - v. 15-16
• Ele virá para julgar. A coroa da vitória estará em sua cabeça e a foice em sua mão. Ele virá para reunir os seus escolhidos dos quatro cantos da terra (Mt 24:29-31) e então se assentará no trono para julgar (Mt 25:31-46). A colheita é o fim do mundo (Mt 13:39).
• "A seara está madura" - Isso significa que a história desenrola-se sob a soberania de Deus.
• Tanto Cristo como os anjos são os ceifeiros. A colheita das primícias # para o Senhor. Os remidos serão reunidos como o trigo no celeiro, mas o ímpios como joio na fornalha (Mt 13:40-43).

VII. A SEGUNDA VINDA DE CRISTO PARA O CASTIGO FINAL DOS ÍMPIOS - V. 17-20
1. O juízo para os ímpios será como uma vindima - v. 18
• A idéia aqui não é de uma colheita dos frutos, mas de um lagar, onde as uvas são pisadas e esmagadas. Essa é uma idéia clara do furor da ira de Deus contra os ímpios que blasfemaram do seu nome e perseguiram a sua igreja (Is 63:1-6). Em Apocalipse 19:15 mostra o próprio Cristo pisando o lagar: "... e pessoalmente pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-poderoso".

2. O lagar é fora da cidade, ou seja, os salvos não participarão desse juízo - v. 19-20
• Esse é o lagar da cólera de Deus.
• Os remidos não sofrerão esse juízo (Jo 5:24). Os remidos serão a delícia de Deus. a noiva do Cordeiro, enquanto os ímpios serão o alvo da ira pura de Deus.

3. O juízo de Deus será completo sobre todos os ímpios em todos os lugares - v. 20
• A extensão de 1.600 estádios é igual a 360 km, ou seja, a distância do Norte ao Sul da Palestina, ou seja de Dã a Berseba. O sangue vai até aos freios dos cavalos, ou seja, 1,5 metro de altura. Esse mar de sangue é sem dúvida um símbolo do completo e total juízo de Deus que alcança os ímpios plenamente e em todos os lugares.

CONCLUSÃO
1. Na humanidade só há dois grupos: os salvos e os perdidos. Os adoradores da besta e os adoradores do Cordeiro, os que estarão com Cristo no Monte Sião e que serão atormentados de dia e de noite. Aqueles que estarão cantando e descansando no céu e aqueles que estarão atormentados para sempre.

2. Na humanidade só há duas igrejas: a igreja verdadeira, os 144.000 selados, redimidos, primícias para Deus e a igreja apóstata que seguir a besta e receber sua marca.

3. De que lado você está? Você tem o selo de Deus na sua vida? Sua vida é pura? Seus lábios são puros? Você está preparado para o dia do juízo? Hoje ainda é dia de oportunidade. Logo o juízo chegará e então, será tarde demais!